Seminário na Virada do Cerrado discutirá água, agroecologia e consumo consciente

Tem início nesta semana a Virada do Cerrado — Cidadania e Sustentabilidade. De sexta (11) a domingo (13), diversas áreas de Brasília serão palco de dezenas de ações de mobilização social, responsabilidade socioambiental e entretenimento.

Um dos espaços da programação é o Complexo Cultural da Fundação Nacional de Artes (Funarte), onde haverá, no dia 12, o seminário Água, Agroecologia e Consumo Consciente. Ele é organizado pela Secretaria do Meio Ambiente, pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal (Sebrae-DF), pelo Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e pelo Comitê Criativo da Virada do Cerrado.

Faz parte da lista de assuntos do seminário o programa Cultivando Água Boa. Em julho, o governador Rodrigo Rollemberg assinou acordo de cooperação técnica com a Itaipu Binacional para aderir à ação, iniciada em 2003 pela usina hidrelétrica com o objetivo de promover melhor gestão das águas brasileiras. Ela começa a ser colocada em prática em Brasília.

A Bacia do Rio Descoberto, por exemplo, está entre as principais responsáveis pelo abastecimento da capital do País e será uma das áreas de trabalho do Cultivando Água Boa. “Nas palestras, abordaremos um panorama do programa e a chegada dele até aqui, ou seja, como trabalhamos metodologicamente, considerando as especificidades do DF”, explica o subsecretário de Água e Clima da Secretaria do Meio Ambiente, Sérgio Ribeiro.

Durante a manhã, também haverá discussões relativas à Bacia do Prata. “Estamos em uma região de cabeceira dessa importante bacia, uma das maiores da América do Sul. Temos de lembrar que nossas águas se conectam com águas de outros países para construir essa bacia”, destaca Ribeiro.

À tarde, as conferências estarão relacionadas à educação ambiental, à agroecologia (agricultura feita a partir da perspectiva ecológica) e ao consumo consciente — feito com base em questões relativas à produção, aos benefícios e à destinação que o produto terá após o uso, por exemplo.

No seminário, as conversas contarão com participantes como o ex-ministro do Meio Ambiente do Paraguai Oscar Rivas; o diretor de coordenação e Meio Ambiente da Itaipu Binacional, Nelton Miguel Friedrich; a diretora-executiva da Carta da Terra Internacional, Mirian Vilela; e o ator e produtor de alimentos orgânicos Marcos Palmeira. Por meio de círculos de diálogos, a população poderá interagir sobre os temas abordados.

No domingo (13), a programação inclui atividades culturais, corrida de rua e feira de troca de sementes, brinquedos e artigos culturais, como livros e CDs. Nos dois dias, haverá feira de produtos agroecológicos, com a participação de produtores familiares.

Mobilização
A Virada do Cerrado — Cidadania e Sustentabilidade é resultado do trabalho colaborativo de órgãos dos governos federal e de Brasília com organizações da sociedade civil. A mobilização pela defesa do Cerrado deu origem ao nome do evento.

“A virada é um grande projeto de mobilização que vai mostrar boas práticas para ser um cidadão responsável. A ideia é que as pessoas aprendam e compartilhem essas ações, para que possamos superar os problemas ambientais, como a crise da água e a geração de resíduos”, diz a subsecretária de Educação e Mobilização Socioambiental da Secretaria do Meio Ambiente, Gabriela Barbosa Batista.

Agência Brasília

COMPARTILHAR