PF quer encerrar inquéritos contra políticos antes das eleições

A Polícia Federal está tentando encerrar as investigações envolvendo políticos no Supremo Tribunal Federal (STF), antes das eleições deste ano.

Serão nomeados mais 8 delegados, 7 escrivães e 17 analistas para atuar no Grupo de Inquérito (GINQ) responsável pelas 273 investigações em andamento na Corte.

Situação

São investigados atualmente pelo GINQ, além de Temer, os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria-Geral), Gilberto Kassab (Comunicações, Ciência e Tecnologia), Aloysio Nunes (Relações Exteriores) e aliados como os senadores tucanos Aécio Neves (MG) e José Serra (SP), além do presidente do PMDB, o senador Romero Jucá, do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e do peemedebista Renan Calheiros (AL). Todos negam envolvimento em irregularidades.

Oposição

A oposição também deve ser alvo do novo ritmo das investigações. São investigados pelos GINQ, entre outros, a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR), o senador Jorge Viana (PT-AC) e os deputados petistas Arlindo Chinaglia, Carlos Zarattini, Zeca Dirceu e Marco Maia.

Folha de Brasília, da Redação

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here