Nomeação de Cristiane Brasil foi parar no Supremo

Temer nomeou Cristiane Brasil para o Ministério do Trabalho e a posse foi embargada por um juiz de primeira instância e pelo vice-presidente do TRF-2 por conta dos crimes trabalhistas já cometidos por ela.

O caso foi parar no Supremo e até sexta-feira Supremo optará por manter ou derrubar a liminar que impede a posse da filha de Roberto Jefferson.

Julgamento

É provável que o Supremo derrube a liminar porque a Constituição não veda a nomeação de réus ou condenados para ministérios. Exige apenas que os indicados tenham mais de 21 anos e estejam no pleno exercício dos direitos políticos (art. 87).

Quem for relatar a matéria deve apegar-se a isso para dizer que o presidente tem a prerrogativa de escolher livremente seus ministros

A condenação

O Globo revelou que, mesmo depois de condenada, Cristiane Brasil não recolheu o INSS de um dos ex-funcionários que a processaram.  

Continua pairando a suspeita de que empurrou para a funcionária Vera Lucia o pagamento do débito trabalhista parcelado,  numa prática muito comum na Câmara, de garfar parte do salário dos funcionários com a prática do rebate: tomando-a em dinheiro vivo ou empurrando compromissos financeiros para os empregados do gabinete. 

Foi Vera Lucia que pagou as parcelas do débito trabalhista mas Cristiane recusou-se a mostrar comprovantes de que ela foi ressarcida pela despesa.

Folha de Brasília, da Redação

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here