InícioCidadesAlterações no trânsito durante a Marcha das Margaridas

Alterações no trânsito durante a Marcha das Margaridas

Brasília recebe a 5ª edição da Marcha das Margaridas, evento pelo direito das mulheres que deve trazer à capital da República de 40 a 50 mil camponesas de todo o País. A programação começa nesta terça-feira (11) e tem como ponto alto uma passeata do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha até o Congresso Nacional, amanhã (12).

mapa_marcha_das_margaridasO Batalhão de Policiamento de Trânsito do Distrito Federal (BPTran) planejou um esquema para minimizar o impacto da manifestação, prevista para começar às 8 horas, horário de pico no trânsito. Como as mulheres estarão acampadas no estacionamento do Mané Garrincha, a descida ao Congresso se dará pela contramão da Via N1 do Eixo Monumental, evitando interferências no outro lado da pista, a Via S1 — que costuma ter um intenso fluxo de veículos chegando ao Plano Piloto no começo do dia.

Alternativas
Para o deslocamento das manifestantes, serão reservadas quatro das seis faixas da Via N1. Ficarão livres aos motoristas as duas da direita, o que permitirá o acesso às Vias L2 e W3 Norte e ao Eixo Rodoviário. Desde o início da manhã, por volta das 5 horas, o BPTran vai interditar o estacionamento em torno do canteiro central da Esplanada dos Ministérios. As vias N2 e S2, conhecidas como vias dos anexos, não sofrerão qualquer alteração.

O único trecho de bloqueio total das faixas da Via N1 é em frente ao estádio, ponto inicial da marcha. Os condutores serão forçados a deixar o Eixo, mas podem contornar o Mané Garrincha pelo Autódromo Internacional Nelson Piquet e retornar pela via SAM (Setor de Administração Municipal, entre o Ginásio Nilson Nelson e o Tribunal de Contas do DF) ou pela DF-010 — via da sede do Departamento de Trânsito do DF (Detran). Uma terceira opção é atravessar o Setor Militar Urbano e voltar na altura da Catedral Militar Rainha da Paz.

A Via S1, que recebe um maior fluxo de motoristas no início do dia, ficará livre para os carros no horário de trânsito mais intenso, mas será bloqueada por um curto período de tempo, enquanto as margaridas — como são conhecidas as manifestantes — contornam o Congresso Nacional pela Praça dos Três Poderes.

O trânsito deve começar a ser normalizado dos dois lados do Eixo quando as camponesas estiverem aglomeradas para um ato no gramado em frente à sede do Poder Legislativo federal. O retorno para o Mané Garrincha será gradualmente, a bordo dos ônibus que trouxerem as margaridas ao DF, o que deve ocorrer por volta das 12h30, segundo estimativas do BPTran.

Mesmo com toda a estratégia, é recomendável que os motoristas evitem circular pela zona central da cidade. “A população pode dar preferência ao transporte público, e precisa ter paciência”, recomenda o major Sérgio Roballo, chefe de operações do batalhão. Ele lembra o caráter pacífico dos atos das margaridas. Ainda assim, alerta: o trânsito é dinâmico, e é possível que ocorram interdições totais da Via N1 do Eixo Monumental, inclusive das duas faixas reservadas aos veículos, para redirecionar o fluxo.

Serviços
A Unidade Móvel de Atendimento à Mulher Vítima de Violência no Campo e no Cerrado estará no estacionamento do estádio das 9 às 16 horas, nos dois dias do evento, com serviços de assistência psicológica e social, além de orientações jurídicas. O atendimento é uma iniciativa da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos e estará acessível para qualquer mulher que vá ao local — não só para as participantes da marcha.

O público feminino terá acesso ainda, nos mesmos dias e horários, a um estande da Casa da Mulher Brasileira, que em dois meses de funcionamento na capital federal recebeu mais de 90 mulheres vítimas de violência e prestou 300 atendimentos.

Homenagem
Organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura, o nome do evento é uma referência à paraibana Margarida Maria Alves, assassinada em 1983, quando presidia o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Alagoa Grande (PB).

A abertura oficial da marcha será às 19 horas desta terça-feira, com a participação de representantes de movimentos e organizações de mulheres do Brasil e de outros países, além do governo federal. Mais cedo, às 14 horas, haverá uma conferência com o tema Margaridas seguem em Marcha por Desenvolvimento Sustentável com Democracia, Justiça, Autonomia, Igualdade e Liberdade. Para quarta-feira (12), além da passeata, está previsto um encontro das camponesas com a presidente da República, Dilma Rousseff.

Agência Brasília

Mais populares