InícioCidadesApós oito anos de atividades, escola de música fecha as portas

Após oito anos de atividades, escola de música fecha as portas

20150713104606Nem a criatividade ajudou a empresária Ednea Fagundes, franqueada da BSB Musical do Guará, a manter as portas da escola abertas. A crise que assola diferentes segmentos comerciais em todo o País chegou  à área de educação cultural. Após oito anos de ensino e formação de crianças, adolescentes e adultos, a instituição não conseguiu se manter devido à baixa procura e fidelização de estudantes. 

Motivos e contas à parte, as lágrimas rolaram soltas ontem à tarde na unidade da Asa Norte. A 16ª audição dos alunos da escola do Guará simbolizou o fim doloroso de quase uma década de ensino. Depois do fechamento da academia de música, Ednea Fagundes irá se dedicar a outra empresa “com mais segurança financeira”, destaca.

Na opinião da proprietária, desde o ano passado, a demanda vem diminuindo aos poucos. “As pessoas foram cancelando os compromissos financeiros por diversos motivos. Muitos pais alegaram que as mensalidades não cabiam mais no orçamento”, afirma Ednea. Ao todo, 16 pessoas, contando com professores e secretários, ficaram sem emprego.

Professor da escola no Guará desde os primeiros passos da franquia, Fred Mello também  dá aulas particulares de música e revelou sentir a crise um pouco antes que os donos da instituição.  “Eu sou autônomo da área faz pelo menos dez anos e eu nunca vi o mercado desse jeito. Um tempo atrás, a procura era muito maior”, lembra.

Para Ednea, por sua vez, além da impossibilidade financeira de arcar com mensalidades consideradas fora da lista de prioridades, a cultura não é tratada da forma que deveria. “Muita gente não vê a educação e a cultura como elementos básicos e essenciais para a formação do ser humano como indivíduo e cidadão”, lamenta.

Tristeza

A adolescente Nathália Bonfim,  de 15 anos, estuda na BSB Musical do Guará há cinco anos. Para a aluna, o encerramento da escola é motivo de tristeza. “Eu não quero parar de estudar. É uma pena que isso esteja acontecendo, mas eu vou levar de lembrança a paixão que meus professores e amigos têm pela música. Isso me inspira”, ressalta a jovem.

A amiga Rafaela de Almeida, 13 anos, também estuda guitarra, violão e canto  na unidade desde o sete anos. “Aqui, eu aprendi a amar a música e fazer com prazer. Além disso, meu desempenho e concentração na escola também melhoraram bastante”, conta.

Saiba mais

A BSB Musical é uma rede franquias de escolas de música que oferece mais de 20 cursos autorizados pela Secretaria de Educação do Distrito Federal.

Em 1994, o Conselho de Educação do DF reconheceu os cursos da BSB Musical, que se tornou a primeira Escola da capital apta a expedir certificado de conclusão para todos os cursos com validade em todo território nacional.

Tudo à venda para diminuir prejuízo

A empresária Ednea Fagundes não fechou as portas de um dia para outro. Com a observação da crescente crise em sua escola, ela decidiu fazer um garage sale (termo em inglês dado a evento, geralmente feito em casa,  em que se coloca  tudo à venda). O objetivo foi poder devolver equipamentos, quitar dívidas e não encerrar as atividades no vermelho.

“Nós percebemos antes o que estava para acontecer, e, para termos condições de fechar com dignidade, colocamos instrumentos e mobiliário à venda”, relata. O evento aconteceu na porta da loja, no Guará, e fez sucesso. “Muitos alunos e professores ficaram com parte dos equipamentos”, conta a franqueada.

Transformação

A mãe do professor de canto Wemmerson Reis foi uma das pessoas que ajudaram na compra de boa parte dos produtos à venda. “A música cria um mundo muito mais bonito, além de simbolizar uma tábua de salvação e transformação para muita gente. Minha mãe tem um salão de beleza e poder ajudar, nesse momento, significa muito para todo mundo”, conta Wemmerson.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

 

 

Mais populares