InícioGeraisGoverno inicia pesquisa para mapear crimes não registrados pela população

Governo inicia pesquisa para mapear crimes não registrados pela população

Até 16 de dezembro, 19.537 moradores das 31 regiões administrativas serão entrevistados para a primeira Pesquisa Distrital de Segurança do Distrito Federal, do programa Viva Brasília — Nosso Pacto pela Vida. O objetivo é verificar a taxa de crimes não informados ao Estado e planejar políticas públicas mais eficazes. O trabalho se iniciou na sexta-feira (16).

A Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social espera saber mais sobre crimes que, por algum motivo, deixaram de ser registrados pela vítima, como os que causam algum tipo de constrangimento, a exemplo de estupro, violência doméstica ou racismo. “Nem sempre as pessoas se sentem confortáveis ou confiantes para denunciar em uma delegacia de polícia, por isso vamos até elas, ouvir o que têm a dizer”, explica o titular da pasta, Arthur Trindade.

De acordo com o secretário, a ideia é avaliar a sensação de segurança da população e entender como a comunidade se relaciona com as forças policiais. O questionário dura cerca de 45 minutos, e as perguntas vão desde se a pessoa sofreu algum tipo de crime no último ano até o motivo para ela ter ou não registrado ocorrência.

Além das Polícias Civil e Militar, a pesquisa apura itens ligados à atuação do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil e do Departamento de Trânsito. Com isso, ações de prevenção também podem ser melhoradas.

Método
As famílias que estão sendo visitadas foram escolhidas em parceria com a Companhia de Planejamento do DF. A expectativa é que o levantamento completo seja anual e que outros, por localidade, ocorram a cada trimestre. “É algo que vai permitir entender a realidade de todas as regiões administrativas”, resume Trindade. Segundo ele, com o resultado, será possível desenvolver políticas próprias para cada lugar, respeitando as especificidades.

O sigilo das informações será garantido. São cerca de 50 entrevistadores, que ficam em campo até 16 de dezembro. Os resultados estarão prontos no início do ano que vem.

A equipe, que trabalha uniformizada com uma camiseta branca estampada com o nome da iniciativa, recebeu treinamento nessa quinta-feira (15). Uma campanha publicitária será lançada para que os cidadãos contribuam com os pesquisadores.

Para o trabalho, foi feito um contrato, via licitação, com o Instituto Veritá, no valor de R$ 500 mil — verba da própria secretaria.

Primeira vez
A ação é inédita na capital do País. O Ministério de Justiça fez um levantamento semelhante em 2011, mas era nacional, e não foram levados em conta dados de todas as regiões de Brasília.

Durante a primeira semana de visitas, a equipe promoverá testes para verificar todos os procedimentos que serão adotados no processo.

Mais populares