InícioSaúdePor que a depilação íntima completa pode causar danos à saúde feminina

Por que a depilação íntima completa pode causar danos à saúde feminina

depilacaoQuando o assunto é depilação íntima, a mulherada costuma se dividir. Há quem prefira algo mais naturalista, retirando o mínimo de pelos possível, quem opte por manter um filete de fios na região frontal e também quem seja adepta da depilação completa  – prova disso é a técnica popularizada como “brazilian wax”, que vêm conquistando mais e mais adeptas no exterior. Conservar a pele lisinha pode ser a preferência de muitas mulheres, mas o que nem todas sabem é que a ausência de pelos pubianos pode ocasionar problemas à saúde, incluindo inflamações e contaminação de doenças sexualmente transmissíveis.

Segundo o ginecologista Elson Almeida, do Hapvida Saúde, os pelos servem como uma defesa para o organismo e a depilação íntima completa deixa esta região mais exposta ao ambiente externo, aumentando a possibilidade de contaminações.

— Com a retirada dos pelos, bactérias têm acesso livre para região interior da pele, podendo ocasionar inflamação ou infecção, que precisará de acompanhamento médico. O atrito direto com a calcinha e absorventes são outros fatores que aumentam a umidificação do local, responsáveis pela proliferação de bactérias —, explica.

Pelos encravados e alergia também são reações frequentes em peles mais sensíveis quando são expostas às depilações com cera quente ou lâminas.

— Ceras reutilizadas e espátulas usadas para passar a cera também podem ser transmissores de vírus e bactérias, caso tenham sido utilizados em um cliente infectado —, alerta o médico.

Em caso de lesão na área decorrente da depilação, vale ficar atenta: em contato com outra pele danificada, pode ser transmissora de doenças sexualmente transmissíveis.

— O recomendado é evitar relações sexuais após a depilação, pois a possibilidade de infecção aumenta quando há contato com uma pessoa infectada.

Ao contrário do que muitos pensam, manter os pelos não é falta de higiene, mas o aconselhado é que eles sejam aparados regularmente para aeração genital. O recomendado é manter o pelo com 2 cm de comprimento. Para quem não quer abrir mão da depilação completa, seguem os conselhos do ginecologista:

Cuidados pré-depilação

Higienizar bem a área: lave a região ou use loções especiais pré-depilatórias, que ajudam na limpeza e na aderência da cera e eliminam bactérias;

• Esfoliação: três dias antes da retirada dos pelos, esfoliar a pele ajuda a eliminar as impurezas e prevenir os pelos encravados.

Cuidados pós-depilação

Produtos: usar produtos calmantes logo após o procedimento evitam irritações. Evite os que possuem álcool ou cremes muito pesados;

Evitar roupas apertadas no local depilado: em regiões sensíveis como a virilha há maior tendência do pelo encontrar dificuldades para atravessar a pele, causando o encravamento.

Fonte: revistadonna

Mais populares